domingo, 23 de março de 2008

Nacionalidade Francesa

Do lado de cá, as regras são um pouco mais precisas, embora já tenham sido bem mais fáceis e a cada ano mudam para evitar a enxurrada de imigrantes.

O fato histórico é que a França já precisou muito mais de imigrantes no passado, mas agora está tentando dizer chega, pois sua economia praticamente estagnada não consegue mais absorver o fluxo de 250.000 pessoas que vêm tentar a vida aqui anualmente.

Para se requerer a nacionalidade, é preciso viver há pelo menos cinco anos no país. Depois ainda existe um processo, ou seja, não é automático. Além da proficiência na lingua de Molière, é exigido do candidato que cante La Marseillaise, o hino nacional da França, entre outras provas para merecer o passaporte.

Existem exceções aos cinco anos. Para quem faz seus estudos superiores aqui, por exemplo, pode pedir a nacionalidade ao final do curso. Para cônjuges de um cidadão francês, o prazo atual é de quatro anos de casamento E vida comum. Filhos de estrangeiros nascidos na França adquirem o
direito de solo contanto que vivam aqui ao menos cinco anos consecutivos entre os 11 e 18 anos de idade.

A França não exige o abandono da nacionalidade anterior.

11 comentários:

Madruga disse...

Caramba, não é complicado. É simples virar francês. E, mais do que isso, como você disse, é claro.

Acho que nos EUA tem uma prova pra conseguir cidadania, depois que você já tem o green card. Acho que ter uma prova faz sentido. Ok, cantar o hino do país é um começo (e quantos brasileiros não passariam!). Mas tem que saber um pouco mais do que isso... por outro lado, vários nacionais de berço vão saber muito menos do que os imigrantes. Complicado dizer onde colocar a régua

Outro dia li que existem 60 milhões de italianos fora da Itália. Dentro dela, são 60 milhões também. Eu sou contra a distribuição gratuita (e sem muito critério, ou com um critério muito solto) de passaportes desse jeito. Não acho que o brasileiro que tem um passaporte italiano é italiano de verdade. Também não acho que o japa da Liberdade, que nem fala português, seja brasileiro. Acho, however, que o neto dele tem direito a ser japonês e brasileiro. O que preferir. Ou os dois.

Brenno Corte disse...

Concordo c/ o que o Madruga falou sobre brasileiros c/ passaportes de outros países, principalmente europeus. Como exemplo, aqui em SP temos milhoes de descendentes de diferentes origens, mas com grande concentração de italianos. Ai o mané consegue um passaporte europeu por conta do parentesco com a bisaultratatataravó e fica se achando...
O primeiro ponto é que quase todo mundo em SP tem algum parentesco italiano. É só voltarmos no tempo e lembrarmos que o estado recebeu cerca de 3 milhões de italianos no início do séc. passado. isso numa época em que a cidade de SP ainda era praticamente uma província de tão pequena. Esses italianos, junto a outros imigrantes, cresceram e se multiplicaram junto com a cidade e o interior do Estado.
Só que o nosso "pseudo-europeu" de hj esquece que é brasileiro, que na maioria das vezes nunca visitou o seu suposto "país", não sabe falar a língua e nem ao menos dizer qual o regime político vigente na Itália.
Mas é só vc tomar um chopp com ele para ouvir o famoso "sou italiano". Brasileiro nesse aspecto é burro e colonizado, super valorizando um cultura que na verdade desconhece. Mal compreende que numa situação real precisará de muito mais que um papel e uma foto para ser aceito nesta sociedade.
Lógico que esta é uma generalização de fatos, pois muitos descendentes são ligados à cultura e aspectos socias da sua segunda pátria.
mas que tem muito brasileiro deslumbrado e burro, isso tem !

Gica Rodrigues - designer. disse...

Olá!

Tenho uma questão: meu pai é brasileiro e vive na França há mais de 20 anos e logicamente cidadão francês...
Será que eu, nesse caso posso requerer minha cidadania, usando esse argumento?

Obrigaada!
Gislaine Rodrigues

andresssouza disse...

Olá, amigos, tudo bem?
Estou procurando algumas informações e, além disso, dicas de pessoas que talvez possam ter passado por uma situação semelhante.
O meu problema é o seguinte: minha esposa (ela é brasileira e casamos há poucos meses, à distância) mora na França há três anos. Ela cursou o mestrado e agora cursa o doutorado em física. Estamos tentando morar juntos na França e estamos pesquisando os processos legais para isso. Em paralelo estou pedindo uma vaga para cursar o mestrado e assim seria mais fácil conseguir meu acesso ao país. O problema é que estou preocupado em não conseguir a vaga. Conversei com algumas pessoas e me informaram um órgão, em Paris, para pedir reagrupamento familiar. Mas ainda não sei como funciona exatamente. Enfim, alguém pode me dar mais alguma dica em como conseguir a minha entrada na França?

Obrigado.
André - Estatístico.

Luciana disse...

André o mais correto seria vc procurar o consulado Francês mais proximo da sua cidade. acredito que só eles poderão te dizer ao certo o que deverás fazer.Possuo dupla cidadania por parte de pai e moro na França durante os meses de invernoe gosto muito. Vc vai gostar também.Te desejo boa sorte
Um abraço.

Diego MDC disse...

é isso ai, Luciana. Para cada caso, o melhor mesmo é ir buscar a informaçao na fonte.
Um abraço

Anônimo disse...

Sou brasileiro e começarei o Doutorado este ano na França. Serão 3 anos. Você sabe se isto se encaixa em na exceção para "cursos" superiores?

Obrigado.

Anônimo disse...

Já faz um tempo que eu nao me atualizo sobre as regras, mas imagino que depois do termino do doutorado, se voce resolver continuar em solo francês, voce possa fazer a demanda. Boa sorte!

Anônimo disse...

queria saber sou casado e tenho o titulo de residencia francesa definitivo de 10 anos e estou divorciando tenho 6 anos de vida comune e casado a 3 no procimo ano poso pedir a nacionalidade mesmo estando divorciado ou tenho que esperas quanto tenpo ?????????????

Anônimo disse...

Segundo algumas pesquisas,tem que se ter ou 5anos de residencia em solo frances,ou 4 anos de casamento e vida em comum,menos nao e possivel,a nao ser que sejas filho de franceses ou que,segundo o comentario em cima,termines os teus estudos em franca...esta nao sabia ))

Diego Mastroianni disse...

Este post já tem quase seis anos e ainda continua rendendo comentários. Sim, as coisas mudaram desde então, portanto sempre procure a informação mais recente do governo francês sobre como obter a cidadania.

Até onde eu sei, os prazos descritos no comentário acima estão corretos, isto é, 4 anos de casado em solo francês ou 5 anos de casado no exterior.